Melhor roda da fortuna

A Carreira de Luuk de Jong em Números

2020.08.27 23:41 futebolstats A Carreira de Luuk de Jong em Números

Quando cita-se um dos melhores atacantes holandeses da atualidade, o nome de Luuk de Jong que atualmente joga pelo Sevilla da Espanha e que também é presença constante nos jogos da Seleção Holandesa, deve ser levado em conta.
Luuk de Jong nasceu em 27/08/1990 em Aigle, na Suíça. Apesar de ter nascido em outro país, Luuk é filho de pais holandeses. Inclusive, de Jong iniciou sua carreira como jogador de futebol em um clube holandês, o De Graafschap. Porém, o que mais se sabe sobre Luuk de Jong? Por quais clubes atuou até aqui? Quais feitos atingiu ao longo de sua carreira?

Juvenil

Da esquerda para a direita: Luuk de Jong aos 6 anos de idade e o mesmo na época em que atuava pelo TwenteComo já foi dito acima, Luuk de Jong nasceu na Suíça. Os pais do atacante – George de Jong e Loekie Raterink – jogavam vôlei neste país. Anos depois, seu pai também se tornou um treinador de vôlei na Suíça. Luuk de Jong viveu no país alpino – Suíça – até os 4 anos de idade e depois mudou-se para a Holanda. Seu irmão, Siem de Jong que também tornou-se jogador de futebol, tinha 6 anos nessa época. Como você só obtêm a nacionalidade suíça se morar naquele país até os 14 anos, De Jong só tem passaporte holandês. Ele cresceu em Achterhoek depois dos 4 anos de idade. Posteriormente, Luuk começou a jogar futebol na associação amadora DZC ’68.
Luuk de Jong foi admitido na academia de juniores do De Graafschap aos 10 anos de idade e depois, foi queimando as etapas necessárias para chegar aonde queria, tornar-se um jogador de futebol.

A Carreira de Luuk de Jong em Números

De Graafschap

Categorias de Base

Sabe-se que Luuk de Jong ingressou nas categorias de base do De Graafschamp em 2001 e depois de queimar todas as etapas necessárias, em abril de 2008, assinou seu primeiro contrato com o clube de Doetinchem, De Graafschap. Esse contrato era válido por 3 temporadas e sendo assim, estendeu seu vínculo com o clube até junho de 2011.

2008-09

Em 7 de novembro de 2008, em jogo da 10ª rodada da Eredivisie (Campeonato Holandês), Henk van Stee – técnico do De Graafschamp nessa época – promoveu a estreia de de Jong quando o colocou em campo aos 32 minutos da segunda etapa no lugar de Peter Jungschläger no revés por 2-0 ante o NAC Breda em pleno Stadion De Vijverberg (estádio do De Graafschap).
Em 17 de janeiro de 2009, em partida válida pela 18ª rodada do Campeonato Holandês, van Stee escalou Luuk de Jong como titular pela primeira vez e na sua estreia como titular, deu o passe para Ben Sahar marcar o único gol da vitória do time da cidade de Doetinchem sobre o Willem II, em outras palavras, o De Graafschap venceu por 1-0.
Em 08/02/2009, em jogo da 22ª rodada da Eredivisie, de Jong marcou seu primeiro tento como profissional no empate em 2-2 com o Twente no Stadion De Vijverberg.
Desde o momento em que de Jong chegou a titularidade no De Graafschap, houve muito interesse no jovem atacante. Foi noticiado pela primeira vez que o Twente e o Heerenveen estariam interessados ​​no atacante, então com 18 anos. Posteriormente, também foi relatado que o Groningen queria trazer o atacante para o norte do país (Holanda). No entanto, Luuk indicou numa entrevista que estava conversando com 2 clubes: o FC Twente, o sc Heerenveen. Dias depois, também foi noticiado que o PSV e o Ajax estavam de olho no jovem atacante.
Em 07/03/2009, em jogo da 26ª rodada da Eredivisie, de Jong marcou seu 2º tento nessa temporada e sendo assim, o De Graafschap venceu o Heracles Almelo no De Vijverberg por 1-0. Na rodada seguinte do campeonato nacional, em 15/03/2009, o time de Doentinchem iria enfrentar o Ajax. Depois que, no início da temporada, o Ajax venceu o De Graafschamp por 6-0 em pleno De Vijverberg e os irmãos De Jong estiveram no banco de reservas durante todo o jogo e o clube de ambos estavam para se enfrentar. Ainda assim, isso não aconteceu, pois Siem estava se recuperando de uma lesão na clavícula. Luuk jogou como titular, mas não conseguiu evitar que o De Graafschap perdesse esse confronto por 3-0.
Em 11/04/2009, em partida válida pela 30ª rodada do Campeonato Holandês, de Jong se machucou e teve de deixar o campo ainda aos 37 minutos do primeiro tempo. Sem contar com sua joia, o De Graafschap empatou em 2-2 com o NEC Nijmegen. Posteriormente, de Jong voltou a jogar nos play-offs que valia a permanência do clube na 1ª divisão. Apesar de um gol dele contra o RKC Waalwijk em 31/05/2009, jogo no qual o time de Doentinchem venceu por 2-1. No segundo confronto entre essas equipes, o De Graafschap perdeu 1-0 e com isso, o clube foi rebaixado para a 2ª divisão ao término dessa temporada.
PdGmACACVMj na temporada 2008-09
1932201273
Pd – Partidas disputadas, Gm – Gols marcados, A – Assistências, CA – Cartões amarelos, CV – Cartões vermelhos e Mj* – Minutos jogados

Twente

2009-10

Antes do fim da temporada 2008-09, enquanto ainda era jogador do De Graafschap, em 6 de abril de 2009 o Twente e o atacante – Luuk de Jong – haviam chegado a um acordo e sendo assim, os “Tukkers” – Twente – anunciaram que ele se apresentaria ao clube no final dessa temporada e que assinaria um contrato de 3 temporadas com opção de mais um ano. Além disso, também se sabe que essa transferência envolveu um montante de 850 mil euros (cerca de 5,6 milhões de reais).
Na primeira metade dessa temporada, de Jong não teve muito espaço no time comandado por Steve McClaren, mas em uma das poucas chances dadas pelo técnico, mais precisamente em 23 de setembro de 2009, em confronto válido pela 2ª fase da Copa KNVB, fez a sua estreia pelo novo clube depois de entrar no lugar de Dario Vujičević e no primeiro jogo com a camisa do Twente, deu o passe para o gol de Nikita Rukavytsya na goleada por 8-0 sobre o SC Joure.
Em 28/10/2009, em confronto válido pela 3ª fase da Copa KNVB, Luuk ganhou mais uma chance de iniciar entre os titulares e foi o principal destaque da vitória por 3-0 sobre o VV Capelle, pois marcou seu primeiro doblete – ocorre quando um jogador faz 2 gols numa mesma partida – da carreira. Na fase seguinte desse torneio – oitavas-de-finais – que ocorreu em 23/12/2009, de Jong marcou seu segundo e último doblete nessa temporada na vitória por 3-0 sobre o Helmond Sport.
Em 25 de fevereiro de 2010, no segundo confronto da fase de 16 avos da Europa League, de Jong ganhou a oportunidade de iniciar entre os titulares e marcou o único gol do Twente no revés por 4-1 ante o Werder Bremen da Alemanha fora de casa e com um placar de 4-2 a favor – o time holandês venceu o primeiro confronto por 1-0 -, a equipe alemã seguiu adiante na competição. Três dias após a eliminação, o Twente entrou em campo para jogar contra o NEC Nijmegen em partida válida pela 25ª rodada do Campeonato Holandês, a qual Luuk marcou o primeiro gol da vitória dos Tukkers por 2-1 no De Grolsch Veste (estádio do Twente).
Em 10/04/2010, em jogo da 31ª rodada da Eredivisie, de Jong entrou em campo aos 21 minutos do segundo tempo no lugar de Kenneth Pérez e 25 minutos depois, fez o gol que selou o resultado do jogo; vitória do Twente por 2-0 sobre o Heerenveen no De Grolsch Veste.
Em suma, na sua 1ª temporada com a camisa dos Tukkers, Luuk de Jong disputou 21 jogos, fez 7 gols e proveu 4 assistências. Quanto ao Twente, foi campeão do Campeonato Holandês, chegou até a semifinal da Copa KNVB e caiu na fase de 16 avos da UEFA Europa League.
PdGmACACVMj na temporada 2009-10
217410870
7 gols dos quais 4 foram pela Copa KNVB, 2 pela Eredivisie e 1 pela UEFA Europa League

2010-11

Após o fim da temporada 2009-10, Steve McClaren deixou o comando do Twente e com a saída do técnico inglês, Michel Preud’homme – treinador belga – assume o comando dos Tukkers.
Na estreia do novo técnico em 31 de julho de 2010, decisão da Supercopa dos Países Baixos contra a equipe pela qual seu irmão jogava – Ajax -, Luuk marcou o único gol da vitória do Twente e com isso, conquistou seu 2º título como profissional.
Em 21/08/2010, em jogo da 3ª rodada da Eredivisie, de Jong marcou seu primeiro doblete nessa temporada na vitória por 3-0 sobre o Vitesse fora de casa. Na rodada seguinte do campeonato nacional, em 29/08/2010, marcou seu 2º doblete da temporada na goleada por 4-0 sobre o Utrecht no De Grolsch Veste.
De Jong celebrando o gol marcado contra o Werder Bremen na Liga dos CampeõesEm 27/10/2010, em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Holandês, o jovem atacante de 20 anos marcou seu 3º doblete nessa temporada no triunfo por 3-1 sobre o Willem II fora de casa. Seis dias depois, em confronto válido pela 4ª rodada da fase de grupos da Champions League (Liga dos Campeões), de Jong marcou de cabeça seu primeiro gol nesse torneio na vitória por 2-0 sobre o Werder Bremen da Alemanha.
Em novembro desse ano (2010), Luuk de Jong estendeu o seu vínculo com o FC Twente até o ano de 2014.
Em 20/11/2010, em jogo da 15ª rodada da Eredivisie, de Jong marcou seu 10º tento nessa temporada na derrota por 2-1 ante o AZ Alkmaar em pleno De Grolsch Veste.
Em 21/12/2010, em confronto válido pelas oitavas de final da Copa KNVB, Luuk marcou seu 4º doblete nessa temporada na goleada por 5-0 sobre o Vitesse. Além de ter feito 2 gols, também contribuiu com assistência para o gol de Nacer Chadli.
Em 27 de fevereiro de 2011, em jogo da 25ª rodada da Eredivisie, o jovem atacante de 20 anos marcou seu 15º tento nessa temporada no revés por 2-1 ante o AZ Alkmaar.
Em 10/03/2011, no primeiro confronto das oitavas de final da Europa League contra o Zenit da Rússia, de Jong marcou seu 5º e último doblete nessa temporada na vitória por 3-0 sobre o time russo no De Grolsch Veste. No segundo confronto entre as duas equipes, o Zenit venceu a equipe holandesa por 2-0, mas com a vantagem de 3-2 no placar agregado, o Twente seguiu adiante na competição. Posteriormente, o Twente foi eliminado pelo Villarreal da Espanha na fase seguinte.
Em 01/05/2011, em jogo da penúltima rodada (33ª) dessa edição da Eredivisie, o atacante de 20 anos marcou seu último tento nessa temporada na goleada por 4-0 sobre o Willem II no De Grolsch Veste. Uma semana depois, em confronto válido pela final da Copa KNVB, Luuk de Jong foi um dos destaques da vitória por 3-2 sobre o Ajax na prorrogação com assistências para os tentos marcados por Wout Brama e Theo Janssen. Com essa vitória, os Tukkers se sagraram campeões desse torneio pela 3ª vez na sua história.
Em suma, na sua 2ª temporada com a camisa dos Tukkers, Luuk de Jong disputou 49 partidas, fez 20 gols e proveu 16 assistências. Quanto ao Twente, além de ter sido campeão da Supercopa dos Países Baixos e da Copa KNVB, foi vice-campeão do Campeonato Holandês, terminou em 3º lugar na fase de grupos da UEFA Champions League e com isso, herdou vaga automática na fase de mata-mata da UEFA Europa League, onde chegou até as quartas de final.
PdGmACACVMj na temporada 2010-11
492016503632
20 gols dos quais 12 foram pela Eredivisie, 3 pela UEFA Europa League, 3 pela Copa KNVB, 1 pela UEFA Champions League e 1 pela Supercopa dos Países Baixos

2011-12

Após o fim da temporada 2010-11, Michel Preud’homme aceitou o convite para ser treinador de um time da Arábia Saudita e com isso, deixou o comando do Twente e com a saída desse técnico, o clube resolveu apostar suas fichas em Co Adriaanse.
Em 30 de julho de 2011, de Jong foi um dos destaques da vitória por 2-1 sobre o Ajax ao sofrer o pênalti que foi convertido por Marc Janko. Assim como ocorreu na temporada anterior, o Twente iniciava essa temporada com a conquista do título da Supercopa dos Países Baixos.
Em 16/08/2011, no primeiro confronto da última fase pré-eliminatória da Champions League contra o Benfica de Portugal, o atacante de 21 anos marcou seu primeiro tento nessa temporada no empate em 2-2 com a equipe portuguesa no De Grolsch Veste. Posteriormente, o time português venceu o Twente por 3-1 em Lisboa – em Portugal – e com isso, o clube holandês ficou de fora da fase de grupos da UEFA Champions League 2011-12.
Em 20/08/2011, em jogo da 3ª rodada da Eredivisie, o camisa 9 dos Tukkers – Luuk de Jong – fez 1 gol na goleada por 5-1 sobre o Heerenveen fora de casa. Além do gol marcado, de Jong também sofreu o pênalti que foi convertido por Janko. Na rodada seguinte do campeonato nacional, em 27/08/2011, o atacante de 21 anos marcou seu primeiro doblete nessa temporada na vitória por 4-1 sobre o VVV-Venlo no De Grolsch Veste.
Em 18/09/2011, em partida válida pela 6ª rodada do Campeonato Holandês, de Jong marcou seu 2º doblete nessa temporada na goleada por 5-2 sobre o ADO Den Haag. Três dias depois, em confronto válido pela 2ª fase da Copa KNVB, foi um dos destaques da goleada por 8-1 sobre o Zwaluwen com mais um doblete e assistências para o gol de Marc Janko e para 1 dos 4 gols marcados por Steven Berghuis.
Em 29/09/2011, em confronto válido pela 2ª rodada da fase de grupos da Europa League, o camisa 9 dos Tukkers marcou seu 10º tento nessa temporada na goleada por 4-1 sobre o Wisla Kraków da Polônia.
Após o fim da primeira metade dessa temporada, Co Adriaanse foi despedido e com a saída dele, o Twente optou por trazer um velho conhecido, trata-se de Steven McClaren.
Em 21 de janeiro de 2012, em jogo da 18ª rodada da Eredivisie, Luuk marcou seu 4º doblete nessa temporada na goleada por 5-0 sobre o RKC Waalwijk. Além de ter feito 2 gols, também proveu assistência para o gol de Emir Bajrami. Na rodada seguinte do campeonato nacional, em 29/01/2012, de Jong marcou seu primeiro hat-trick – ocorre quando um jogador faz 3 ou mais gols numa mesma partida – da carreira na vitória por 4-1 sobre o Groningen no De Grolsch Veste.
Em 10/02/2012, em partida válida pela 20ª rodada do Campeonato Holandês, o camisa 9 dos Tukkers marcou seu 5º doblete nessa temporada no revés por 3-2 ante o Heracles Almelo no De Grolsch Veste.
Em 14/04/2012, em jogo da 30ª rodada da Eredivisie, de Jong marcou seu 6º doblete nessa temporada e sendo assim, empate em 2-2 com o NAC Breda.
Em 02/05/2012, em partida válida pela penúltima rodada da Eredivisie, o atacante de 21 anos marcou seus 2 últimos tentos com a camisa do Twente na derrota por 4-3 ante o Heerenveen em pleno De Grolsch Veste.
Em suma, na sua última temporada com a camisa dos Tukkers, Luuk de Jong disputou 51 jogos, fez 32 gols – sendo 25 destes tentos marcados na Eredivisie 2011-12, o que fez dele o vice-artilheiro do campeonato ao lado de Sanharib Malki do Roda Jc e atrás apenas de Bas Dost do Heerenveen (32 gols) – e proveu 17 assistências. Quanto ao Twente, foi campeão da Supercopa dos Países Baixos, terminou em 6º lugar no Campeonato Holandês, caiu na fase pré-eliminatória da Liga dos Campeões e com isso, herdou vaga na fase de grupos da UEFA Europa League, competição na qual chegou até as oitavas de final, mesma fase na qual foi eliminado na Copa KNVB.
PdGmACACVMj na temporada 2011-12
513217404507
32 gols dos quais 25 foram pela Eredivisie, 4 pela UEFA Europa League, 2 pela Copa KNVB e 1 pela fase pré-eliminatória da UEFA Champions League
Títulos que conquistou pelo Twente - Eredivisie2009-10 - Copa KNVB2010-11 - Supercopa dos Países Baixos2010 e 2011
- O vídeo abaixo mostra alguns dos melhores momentos de Luuk de Jong com a camisa do Twente - Este vídeo foi publicado no YouTube em 14 de maio de 2012por YRC1997TV

Borussia Mönchengladbach

2012-13

Luuk de Jong sendo apresentado como novo reforço do Borussia MönchengladbachEm 18 de julho de 2012, de Jong assinou contrato com o Borussia Mönchengladbach da Alemanha. Um contrato de 5 temporadas com uma taxa de 15 milhões de euros (cerca de 98,3 milhões de reais). Oito meses depois da transferência, Luuk de Jong afirmou que a Bundesliga – Campeonato Alemão – era “um ótimo lugar para se desenvolver como jogador”.
Em 18/08/2012, em confronto válido pela 1ª fase da Copa da Alemanha, Lucien Favre – técnico do Gladbach nessa época – promoveu a estreia de de Jong como titular e o holandês foi um dos destaques da vitória por 2-0 sobre o Alemannia Aachen ao dar o passe para o gol de Juan Arango. Posteriormente, o Borussia Mönchengladbach foi eliminado pelo Fortuna Düsseldorf na fase seguinte.
Em 21/08/2012, no primeiro confronto da última fase pré-eliminatória da Liga dos Campeões, o atacante holandês marcou seu primeiro tento pela nova equipe no revés por 3-1 ante o Dínamo de Kiev da Ucrânia. Vale ressaltar que ele fez o gol do lado errado, marcou seu primeiro gol contra da carreira. No segundo confronto entre as duas equipes, o Gladbach venceu a equipe ucraniana por 2-1, mas com a desvantagem de 4-3 no placar agregado, ficou de fora da fase de grupos da UEFA Champions League 2012-13.
Em 15/09/2012, em jogo da 3ª rodada da Bundesliga, de Jong marcou seu primeiro tento pelo novo clube no revés por 3-2 ante o Nuremberg no Stadion im Borussia-Park (estádio do Borussia Mönchengladbach).
Em 04/10/2012, em partida válida pela 2ª rodada da fase de grupos da Europa League, o novo camisa 9 do Gladbach marcou seu 2º tento nessa temporada na derrota por 4-2 diante do Fenerbahçe da Turquia no Stadion im Borussia-Park. Três dias depois, o Borussia Mönchengladbach estava em campo novamente para jogar contra o Eintracht Frankfurt em jogo válido pela 7ª rodada da Bundesliga e de Jong marcou seu 3º tento nessa temporada e com isso, vitória do Gladbach por 2-0.
Em 25/10/2012, em partida válida pela 3ª rodada da fase de grupos da Europa League, o atacante holandês ficou em campo até os 20 minutos do segundo tempo, quando teve de deixar o campo devido à uma lesão. Quanto ao resultado da partida, vitória do Borussia Mönchengladbach por 2-0 sobre o Olympique de Marselha da França.
Após o jogo contra o time francês, de Jong ficou sem poder jogar por 1 mês e meio até que no dia 06/12/2012, em confronto válido pela última rodada da fase de grupos da Europa League, o novo camisa 9 do Gladbach entrou em campo aos 22 minutos da segunda etapa no lugar de Mike Hanke e 12 minutos depois, fez o gol que definiu o resultado da partida; vitória do time alemão por 3-0 sobre o Fenerbahçe da Turquia fora de casa. Com um total de 11 pontos somados em 6 rodadas – 3 vitórias, 2 empates e uma derrota -, o Gladbach se classificou para a fase de mata-mata da UEFA Europa League 2012-13.
Em 9 de fevereiro de 2013, em jogo da 21ª rodada da Bundesliga, de Jong marcou seu 5º tento nessa temporada no empate em 3-3 com o Bayer Leverkusen no Stadion im Borussia-Park.
Em 06/04/2013, em partida válida pela 28ª rodada do Campeonato Alemão, o atacante holandês marcou seu último tento nessa temporada e com isso, o Gladbach venceu o Greuther Fürth por 1-0. No entanto, de Jong se desentendeu com Lucien Favre e em decorrência disso, o holandês foi parar no banco de reservas nas últimas rodadas do campeonato, entrando no decorrer dos jogos, mas ainda assim, ele reiterou que estava confiante de que poderia provar a si mesmo como o melhor atacante.
Em suma, na sua 1ª temporada na Alemanha, Luuk de Jong disputou 31 jogos, fez 8 gols e proveu 4 assistências. Quanto ao Borussia Mönchengladbach, terminou o Campeonato Alemão em 8º lugar, foi eliminado na fase de 16 avos da UEFA Europa League e caiu na 2ª fase da Copa da Alemanha.
PdGmACACVMj na temporada 2012-13
3184402023
8 gols dos quais 6 foram pela Bundesliga e 2 pela UEFA Europa League

2013-14

Em 4 de agosto de 2013, em confronto válido pela 1ª fase da Copa da Alemanha, de Jong saiu do banco aos 25 minutos da segunda etapa para entrar no lugar de Lukas Rupp e mesmo com a entrada do atacante holandês, Borussia Mönchengladbach e Darmstadt empataram em 0-0 e com a persistência desse placar na prorrogação, houve decisão por pênaltis onde de Jong foi o segundo jogador do time a bater e para piorar, ele teve o seu pênalti defendido e como consequência, o Darmstadt venceu o Gladbach nas penalidades por 5-4 e seguiu adiante na competição.
Após a eliminação precoce na Copa da Alemanha, Luuk de Jong perdeu espaço entre os titulares e quando entrava em campo, era para jogar os finais das partidas e com apenas 14 jogos disputados na primeira metade dessa temporada, o Borussia Mönchengladbach resolveu emprestá-lo para o Newcastle da Inglaterra.
PdGmACACVMj na temporada 2013-14
140000122


Newcastle

2013-14

Em 29 de janeiro de 2014, Luuk de Jong foi apresentado como novo reforço do Newcastle da Inglaterra, ficou estabelecido que ele jogaria pelo clube até o fim da temporada 2013-14.
Em 01/02/2014, em jogo da 24ª rodada da Premier League (Campeonato Inglês), Alan Pardew – técnico do Newcastle nessa época – promoveu a estreia do atacante holandês quando o colocou em campo logo após o intervalo no lugar de Sammy Ameobi, porém essa foi uma estreia para se esquecer, pois o Newcastle perdeu para o Sunderland por 3-0 em pleno St James’ Park (estádio do Newcastle). Na rodada seguinte do campeonato nacional, em 08/02/2014, de Jong jogou os 90 minutos do revés por 3-0 ante o Chelsea fora de casa.
Em 19/04/2014, em partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Inglês, o holandês ganhou a chance de iniciar entre os titulares e deu o passe para Shola Ameobi marcar o único gol dos Magpies (Newcastle) na derrota por 2-1 ante o Swansea no St James’ Park. Além disso, de Jong teve de deixar o campo ainda aos 40 minutos da primeira etapa para dar lugar a Loïc Rémy devido à uma lesão.
Em maio de 2014, foi anunciado que de Jong voltaria ao Borussia Mönchengladbach depois de não ter marcado nenhum tento em 12 partidas pelo Newcastle.
PdGmACACVMj na temporada 2013-14
120100669

PSV Eindhoven

2014-15

Luuk de Jong sendo apresentado como novo reforço do PSV EindhovenEm 12 de julho de 2014, o PSV Eindhoven da Holanda anunciou a contratação de Luuk de Jong. O clube holandês desembolsou 5,5 milhões de euros (cerca de 36 milhões de reais) para contar com o atacante de 24 anos por 5 temporadas. O jogador passou a ganhar cerca de 1,4 milhões de euros (9,1 milhões de reais) por ano no PSV, metade do seu salário no Borussia Mönchengladbach. No entanto, o clube alemão também deu a de Jong um salário anual na saída, que foi pago a ele durante 3 anos.
Em 30/07/2014, no primeiro confronto da fase pré-eliminatória da Europa League contra o SKN St Pölten da Áustria, Philip Cocu – técnico do PSV nessa época – promoveu a estreia de de Jong como titular e ele não desapontou e marcou o único gol da vitória do time holandês sobre a equipe austríaca no Philips Stadion (estádio do PSV). No segundo confronto entre as duas equipes em 07/08/2014, o novo camisa 9 da equipe de Eindhoven marcou seu 2º tento nessa temporada no triunfo por 3-2 sobre o time austríaco fora de casa.
Em 31/08/2014, em jogo da 3ª rodada da Eredivisie, Luuk de Jong marcou seu 3º tento nessa temporada na vitória por 2-0 sobre o Vitesse no Philips Stadion. Posteriormente, nos 3 jogos seguintes do PSV, 3 tentos marcados por de Jong; na derrota por 3-1 ante o Zwolle na 4ª rodada da Eredivisie, na vitória por 1-0 sobre o Estoril de Portugal na fase de grupos da Europa League e na goleada por 4-0 sobre o Cambuur na 5ª rodada da Eredivisie.
Em 06/12/2014, em partida válida pela 15ª rodada do Campeonato Holandês, o novo camisa 9 do PSV marcou seu 10º tento nessa temporada no triunfo por 3-1 sobre o Dordrecht fora de casa.
Em 17/12/2014, em jogo da 17ª rodada da Eredivisie, de Jong marcou seu primeiro hat-trick nessa temporada na vitória por 4-3 sobre o Feyenoord no Philips Stadion.

PdGmACACVMj na temporada 2014-15
452614103930
26 gols dos quais 20 foram pela Eredivisie, 2 pela UEFA Europa League, 2 pela fase pré-eliminatória da UEFA Europa League e 2 pela Copa KNVB

2015-16


PdGmACACVMj na temporada 2015-16
443212703849
32 gols dos quais 26 foram pela Eredivisie, 2 pela UEFA Champions League, 2 pela Supercopa dos Países Baixos e 2 pela Copa KNVB

2016-17


PdGmACACVMj na temporada 2016-17
3999503388
9 gols dos quais 8 foram pela Eredivisie e 1 pela UEFA Champions League

2017-18


PdGmACACVMj na temporada 2017-18
331312202493
13 gols dos quais 12 foram pela Eredivisie e 1 pela Copa KNVB

2018-19


PdGmACACVMj na temporada 2018-19
433210603891
32 gols dos quais 28 foram pela Eredivisie, 3 pela UEFA Champions League e 1 pela fase pré-eliminatória da UEFA Champions League
Títulos que conquistou pelo PSV Eindhoven - Eredivisie2014-15, 2015-16 e 2017-18 - Supercopa dos Países Baixos2015 e 2016
- O vídeo abaixo mostra todos os gols marcados por Luuk de Jong com a camisa do PSV Eindhoven - Este vídeo foi publicado no YouTube em 1º de julho de 2019pelo PSV

Sevilla

2019-20


PdGmACACVMj na temporada 2019-20
46104202703
10 gols dos quais 6 foram pela La Liga, 3 pela UEFA Europa League e 1 pela Copa do Rei
Títulos que conquistou pelo Sevilla - UEFA Europa League2019-20
- O vídeo abaixo mostra 5 dos 10 gols marcados por Luuk de Jong com a camisa do Sevilla na temporada 2019-20 - Este vídeo foi publicado no YouTube em 26 de janeiro de 2020por Galaxy Games 10

Números de Luuk de Jong na Seleção Holandesa

Holanda

Seleções de Base


Seleção Principal


Euro 2012


Eliminatórias da Euro 2016 e da Copa do Mundo FIFA de 2018


Liga das Nações da UEFA A


Eliminatórias da Euro 2020


TOTAL

PdGmACACVMj
245110484
Prêmios individuais - Equipe da Eurocopa Sub-21 de 2013 - Equipe ideal da Eredivisie: 2017–18 e 2018–19 - Final da UEFA Europa League 2019-20: The Man of the Match (Homem do jogo)
Artilharia - Eredivisie 2018-19 (28 gols)

Considerações Finais

O post A Carreira de Luuk de Jong em Números apareceu primeiro em Futebol Stats.
from Futebol Stats https://bit.ly/3lnZNpe
via IFTTT
submitted by futebolstats to SiteFutebolStats [link] [comments]


2020.04.24 16:25 hebreubolado A felicidade em tempos de pandemia: ma reflexão aristotélica.

A quarentena - principal medida contra a proliferação do corona vírus - provocou uma mudança de rotina drástica na vida de todos os cidadãos do mundo; é comum encontrar textos defendendo as mais variadas maneiras de tornar esse momento mais agradável ou simplesmente menos desagradável, ora propondo reflexões sobre relações humanas e a Ciência Política em geral, ora servindo como uma espécie de auto-ajuda, mais compreensível, acessível à massa e também mais atraente a mesma. "Não podemos parar os estudos nesse tempo de pandemia, afinal de contas temos tecnologia o suficiente para nos adaptarmos ao distanciamento", dirão os defensores do Ensino a Distância, o famigerado EAD. "Não podemos parar a produção. Precisamos trabalhar!", dirão alguns picaretas com interesses econômicos prioritários. Um discurso menos tecnológico, menos político e mais humanista diz: tudo bem em não ser tão produtivo ou não ser produtivo, afinal de contas estamos em um momento de uma crise global, e uma das nossas prioridades, além das medidas de prevenção, é o trato da nossa saúde psicológica. Me parece que o discurso dos humanistas estão mais alinhados com uma perspectiva que leva em consideração o misto de emoções que está bombardeando a população mundial nesse momento - você realmente acredita, caro leitor, que os empresários estão preocupados com a saúde psicológica do seu empregado? ou, ainda, que os mesmos empresários, encabeçando instituições de ensino que pregam a imposição do EAD sem a liberdade de escolha dos alunos estão preocupados única e exclusivamente com o processo de aprendizagem dos seus alunos de bolsos abastados? - e, portanto, me parece um discurso que abre margem para discutimos questões como "Em meio ao frenesi que nos encontramos, qual a nossa prioridade?", "Revisando as prioridades, levamos em consideração nossa saúde psicológica?", e, é claro, "Afinal de contas, é possível ser feliz em tempos de quarentena?". Este último questionamento é o que nos interessa nessa reflexão que gostaria de propor através desse texto. O objetivo do artigo que se segue, caro leitor, é rever o conceito de felicidade na filosofia, sobretudo em Aristóteles, e levantar reflexões sobre a possibilidade de ser feliz nessa situação, como supracitado, e o que o Estagirita diria sobre esses tempos sombrios em que vivemos. Outro dia, durante uma aula de Antropologia Filosófica, o professor argumentou que uma das principais utilidades práticas da filosofia consiste em nos proporcionar a compreensão de determinados conceitos; conceitos estes que afetam diretamente no nosso agir, e se assim o faz, trata-se de uma questão de relação inter-pessoal, e assim sendo, também é uma questão ética.
A Ética a Nicômaco
A obra que utilizarei como base para o texto em questão é a Ética a Nicômaco, o principal livro de ética da História da Filosofia, autoria do filósofo estagirita Aristóteles (384 a.C - 322 a.C), célebre aluno favorito de Platão e mestre do aclamado monarca Alexandre III da Macedônia. Aristóteles escreveu o livro para seu filho, Nicômaco, na intenção de educá-lo acerca do sumo bem. A edição que tenho em mãos trata-se da tradução mais respeitável para o idioma brasileiro, autoria de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim, 1ª edição de 1973 publicado pela editora Abril Cultural. Caso tenha interesse em experimentar uma imersão maior, sugiro que acompanhe as nossas reflexões com o texto em mão, facilmente encontrado em PDF, pois sempre que realizar uma citação direta, deixarei a referência para que fique mais fácil. Ademais, não pretendo realizar um estudo aprofundado sobre o conceito aristotélico de felicidade, tampouco elaborar uma pesquisa acadêmica rigorosa; meu objetivo é simplesmente propôr reflexões que podem ou não resultar na compreensão de um conceito que pode ou não interferir diretamente no agir do meu caro leitor. Como o próprio Estagirita afirma, questões Tendo especificado essas questões técnicas e introdutórias, vamos ao que interessa. Dividirei o texto em partes e sugiro que o leitor respeite a ordem para uma melhor compreensão dos nossos objetivos.
A felicidade em Aristóteles.
Podemos resumir de certo modo o conceito aristotélico de felicidade como "agir bem e viver bem" (tal conceito aparece em vários momentos na obra, sendo a primeira vez no livro I, capítulo 4, passo 1095a, linha 19). A felicidade em Aristóteles é, de antemão, aquilo que desejamos por si mesma, não no interesse em outra coisa, não como meio, e sempre como um fim, e portanto, incondicional e absoluta. Para melhor compreender esses termos, precisamos primeiramente refletir acerca dos tipos de vida apresentas na obra. Aristóteles afirma que existem três principais tipos de vida: a vida do vulgo, cuja felicidade se encontra no prazer e por isso amam a vida dos gozos; a vida política, em que a felicidade se encontra na honra e a vida contemplativa, cuja a felicidade se encontra no bem agir. Refletindo sobre esses três tipos de vida, vamos investigar juntamente com o Estagirita se a felicidade que eles cantam é, de fato, a que procuramos: o sumo bem, absoluto e incondicional. A vida do vulgo é onde se encontra grande maioria dos homens, vivendo uma vida selvagem e bestial, o que nosso autor compara com as atitudes de Sardanapalo, o mítico rei da Síria conhecido por sua depravação. Portanto, não pode ser o prazer aquilo que buscamos (lembrem-se sempre: absoluto, incondicional);
A vida política parece ter respaldo nos homens de cultura refinada que buscam a felicidade na honra; esta, porém, também não suporta nossas exigências.
"[...]No entanto, afigura-se demasiado superficial para ser aquela que buscamos, visto que depende mais de quem a confere que de quem a recebe, enquanto o bem nos parece ser algo próprio de um homem e que dificilmente lhe poderia ser arrebatado." (1095b, 21). Há ainda quem afirme, dentro da esfera da vida política, que a felicidade se encontra na virtude (outro conceito de peso na filosofia aristotélica como um todo), porém também encontramos problemas nessa conceitualização, sendo também incompleta para nosso objetivo, pois um indivíduo pode ser virtuoso enquanto está em inatividade (neste caso, fere a exigência de agir bem), sem contar que a vida direcionada às virtudes é "compatível com os maiores sofrimentos e infortúnios" (1095b, 49), e certamente uma pessoa que assim vive não pode ser considerada feliz.
Ademais, Aristóteles filosofa sobre a vida consagrada aos ganhos e lucros, realizando uma dura crítica: a riqueza não é com toda certeza o bem que procuramos (houve quem morresse devido a sua riqueza, por exemplo), e a vida destinada a esse fim é forçada.
Enquanto que desejamos os prazeres, a honra e riqueza como meios para a felicidade, a felicidade é desejada por si mesma, como um fim, sendo assim o bem absoluto e incondicional que buscamos.
Você, caro leitor, diria que encontra-se em qual das três esferas da vida aristotélica? Essa sua concepção seria outra, caso a situação de pandemia que estamos fosse diferente?
A função do homem
Tendo refletido sobre os três principais tipos de vida, o Estagirita nos questiona qual a função do homem: "[...] Pois, assim como para um flautista, um escultor ou um pintor, e em geral todas as atividades que têm uma função ou atividade, considera-se que o bem e o "bem-feito" residem na função, o mesmo ocorreria com o homem se ele tivesse uma função." (1097b, 25). Qual seria então, a função e atividade do homem?
Será viver - no sentido de existir, crescer? Não, não nos afigura como algo adequado ao que buscamos, que é algo próprio e peculiar do homem, e a vida por si só também é comum às plantas e animais em geral.
E a vida das sensações, dos sentidos? Novamente, também sensações e sentidos têm os animais, como a sensação de calor e os sentidos da visão e do tato;
Resta assim uma vida em específico que nos parece peculiar do homem, não sendo encontrada em animais e plantas: a vida do elemento racional. Encontramos aqui um dos pilares mais conhecidos da filosofia aristotélica e o fundamento de o que mais tarde - bem mais tarde - se tornaria o essencialismo (a busca pela essência humana): o homem é um animal racional. "[...] Resta, pois, a vida ativa do elemento que tem um princípio racional; desta, uma parte tem tal princípio no sentido de ser-lhe obediente, e a outra no sentido de possuí-lo e de exercer o pensamento" (1098a, 5). Portanto, a função e atividade do homem deve ser do elemento racional. Ora, assim como existe um flautista cuja função é tocar a flauta e um bom flautista cuja função é tocar bem a flauta, "[...] o bem do homem nos aparece como uma atividade da alma em consonância com a virtude [...]" (1098a, 15).
Tendo refletido sobre esses dois tópicos, vamos ao nosso tópico final.
Os tipos de bens
Como o filósofo categórico que era, o Estagirita nos apresenta mais uma classificação, dessa vez se atendo ao conceito de bem. Existem assim aqueles que são bens exteriores e outros que são relativos a alma ou ao corpo, havendo aqui uma diferença crucial. Encontramos nos bens exteriores as utilidades como riquezas, honras e prazeres, que são úteis e apenas isso, não contendo em si nada de absoluto ou incondicional, sendo assim, meios para um fim maior que eles; contrariamente, nos bens relativos à alma e ao corpo se encontra a atividade virtuosa, que por sua vez está em consonância com o viver bem e agir bem.
Aristóteles chama atenção novamente para a união do viver e agir, nos alertando em não separar uma coisa da outra, pois pode existir um estado que não provoque agir nenhum (como o caso já afirmado de um homem virtuoso inativo); porém, no caso da atividade virtuosa, há uma necessidade do agir, e se compete à virtude, esse agir é necessariamente agir bem. "[...] E, assim como nos Jogos Olímpicos não são os mais belos e os mais fortes que conquistam a coroa, mas o que competem (pois é dentre estes que hão de surgir os vencedores), também as coisas nobres e boas da vida só são alcançadas pelos que vivem retamente" (1099a, 5). Isto é, não é suficiente a posse da virtude (nos exemplos dados da força e da beleza), chamando atenção à necessidade do agir. Aja, homem!
O viver bem e agir durante adversidades
Sendo a felicidade em Aristóteles fortemente ligada ao agir, ao ato, como vimos detalhadamente mais acima, como se dá esse agir bem durante momentos de infortúnios e problemas em geral?
A permanência e durabilidade das ações virtuosas nos parece evidente, visto que são sempre lembradas e os homens felizes se empenham com tanto fervor em sua dedicação. E a felicidade em si está presente no homem não apenas em determinado momento (e se assim o fosse, daríamos total razão àqueles defensores da vida do julgo que encontram a felicidade num momento único de prazer), "[...] porque sempre, ou de preferência a qualquer outra coisa, estará empenhado na ação ou na contemplação virtuosa, e suportará as vicissitudes da vida com a maior nobreza e decoro, se é 'verdadeiramente bom' e 'honesto acima de toda censura' " (1100b, 20). O que Aristóteles quer nos dizer com isso é que, sendo a felicidade a boa atitude, pouco importa ou simplesmente não importa afinal a posição que nos coloca a Roda da Fortuna, pois um homem verdadeiramente feliz não faz da sua vida um momento em específico, um mísero recorte de sua existência. Eis aqui, meu caro leitor, a grande lição que o Estagirita pode nos proporcionar nesse momento de crise que vivemos.
"Se as atividades são, como dissemos, o que dá caráter à vida, nenhum homem feliz por tornar-se desgraçado, porquanto jamais praticará atos odiosos e vis. Com efeito, o homem verdadeiramente bom e sábio suporta com dignidade, pensamos nós, todas as contingências da vida, e sempre tira o maior proveito das circunstâncias, como um general que faz o melhor uso possível do exército sob seu comando ou o bom sapateiro faz os melhores calçados com o couro lhe que dão[...]" (1100b, 35 - 1101a, 5) Não podemos deixar que a situação de pandemia que nos encontramos determine o que somos, determine os nossos atos. Podemos e devemos agir segundo o princípio racional que o Magister nos ensinou, negando a mutabilidade e montanha russa de sentimentos que esse ambiente nos proporciona e tenta nos empurrar goela à baixo, pois o que define a nossa felicidade é a forma com que vivemos e a forma com que agimos. A nossa adaptação será testada talvez como nunca antes, seja porque a grande maioria jamais presenciou um evento dessa magnitude como antes, seja por simples despreparo ou qualquer outro motivo que seja; a questão reside sempre na nossa reação. Como você está reagindo a essa situação? Está afirmando sua capacidade de adaptação, tendo consciência de que alguns bens são apenas úteis e nada além disso, compreendendo que a felicidade não reside no exterior, mas no interior, nos bens da alma; ou está procurando conforto em um molde da vida do julgo, reduzindo o absoluto e incondicional da felicidade a um prazer, uma honra, uma riqueza? Dentro de ti, caro leitor, encontra-se as respostas para estes e outros questionamentos de profundidade maiores ou iguais.
Considerações finais
Como afirmei mais acima, não pretendia com esse texto elaborar um estudo acadêmico rigoroso e aprofundado sobre o grandioso universo da filosofia aristotélica, e sim utilizar de sua obra para realizar uma contextualização com a situação que nos encontramos e assim, se possível, encontrar reflexões que intervenham em nosso agir. A praticidade de Aristóteles deve ser lembrada e estudada sempre que possível, e em momentos pandemônicos como este em que nos encontramos, é pertinente a compreensão de certos conceitos e a releitura dos clássicos; às vezes, grandes e pequenas questões podem ser muito melhor interpretadas se olhadas com a ajuda ou diretamente pela perspectivas de mentes que viveram há mais de dois mil anos atrás.
No mais, estou aberto à críticas, sugestões e dúvidas, na medida do possível e das minhas capacidades.
Wallace Guilherme.
submitted by hebreubolado to brasilivre [link] [comments]


2019.04.27 12:47 euamocachorros79 Do que eu falo quando eu falo sobre perdas

Eu sabia que não deveria transitar pela estrada velha. Chovera forte durante a manhã e aquela via sempre apresenta pontos de alagamento, propícios para esconder buracos e outras armadilhas. O carro dançou seu balé em câmera lenta, rodopiando na pista após aquaplanar numa curva mais aberta. Por sorte, ninguém viu o ocorrido, estava longe tanto de um bairro quanto de outro. Saí do carro e fui verificar o estrago. Nada além de um pneu murcho e alguns arranhões na roda. Dei sorte novamente. Até quando a fortuna sorriria para mim? Peguei o macaco, o estepe e as ferramentas e comecei a trocar o pneu. A chuva agora era apenas um chuvisco insistente. Mas associada ao esforço do exercício deixara minha camisa encharcada. Molhado e cansado, guardei o pneu murcho e as ferramentas com uma forte impressão de que alguém me observava. Eu precisava buscar Mariola o quanto antes, se não quisesse perder a consulta com a veterinária.
Nunca tive um cachorro antes. E aquela vira-latas representava um dos melhores presentes que o acaso poderia ter trazido à minha porta. Por isso não reconheci o bichinho sem vida que não respondeu ao meu toque quando a peguei no colo, ainda no canil. Em desespero, disparei até o carro, colocando-a no banco traseiro. Desta vez, fugi dos perigos da estrada velha, e acima do limite de velocidade, ultrapassei caminhões e outros veículos mais lentos na rodovia. Toda aquela pressa e esforço não foram recompensados com a redenção pelas mãos da Dra. Vanessa. Mariola morrera aparentemente sem sofrimento, ela explicava numa voz que parecia vir de muito longe, acondicionada em várias caixas de papelão. Eu chorei feito o menino que nunca ganhou um cachorro na infância. Eu chorei por não ter sido mais atento. Chorei por não saber como contar para Sophia que sua companheirinha de estripulias não viria mais dar a patinha ou pedir carinho.
- Joel, eu ainda preciso de algumas amostras de tecido para exames de patologia, para identificarmos a causa da morte. Sua voz ainda dentro das caixas.
- Sim. Pode fazer o que for necessário. Eu preciso retornar ao trabalho agora. Obrigado pela tua atenção. Minha voz saiu embargada, miúda.
Coloquei minha máscara de servidor público padrão e fui trabalhar. Nem Pedro, tampouco os outros foram capazes de notar minha tristeza. Não sei de onde reuni forças para participar de reuniões com três empresas diferentes sobre um projeto de pavimentação necessário para melhorar o transporte escolar do município. A tarde passou rapidamente, o trabalho devorando os minutos e horas, até o final do expediente. Busquei minha esposa e minha filha, em silêncio. Ao chegarmos em casa, a pequena notou a ausência de Mariola e só consegui responder que ela estava doentinha e precisava ficar algum tempo na clínica veterinária. Sophia ensaiou uma reclamação e um muxoxo, mas foi interrompida pelo olhar duro da minha esposa, e decidiu ir brincar sozinha, em seu quarto. Assim que estávamos somente Cecília e eu, desabei novamente. Entre lágrimas e soluços, contei o que acontecera mais cedo. Minha esposa sempre foi a mais prática na relação, enquanto eu ocupava o lugar do sonhador, mesmo assim, naquele momento, ela soube respeitar minha dor e acalentar o meu desalento.
A garrafa de whiskey era um convite ao torpor mágico, que anestesiaria meus sentidos, sobre a mesinha do bar, mas dessa vez preferi a cama, enquanto Cecília foi cuidar da rotina noturna com Sophia. Aquele dia cheio de percalços começava a cobrar seu imposto colocando bigornas sobre minhas pálpebras e quando estava quase apagando, uma imagem reapareceu na minha cabeça. O cachorro descomunal. Rosnando, ameaçador, só que dessa vez não estávamos na estrada vicinal. Ele estava no alto de uma coxilha, numa postura de ataque, e eu sobre um mata-burro artesanal, junto à porteira de uma fazenda. Acordei suando frio, o corpo dolorido, com o celular sinalizando a recepção de várias mensagens em sequência.
Todas de Pedro.
submitted by euamocachorros79 to EscritoresBrasil [link] [comments]